sábado, 30 de janeiro de 2010

Dramatização da Obra " A Casa da Mosca Fosca"

No âmbito do Projecto aLeR+, as crianças do Jardim de Infância das Fontainhas participaram em diferentes actividades relacionadas com a leitura da obra "A Casa da Mosca Fosca".
Assim, após a leitura da obra pelas educadoras, foram desenvolvidas as actividades seguintes: confecção de fantoches e máscaras com materiais recuperáveis (trazidos pelos alunos), teatro de fantoches e dramatização/teatro.
.

Ler+ e Melhor...

video

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Exposição na Biblioteca da Escola Secundária de D. Dinis-Santo Tirso

Vem visitar a exposição de desenhos e trabalhos dos alunos do 11ºF orientados pelo professor Pedro Sá. Os alunos aplicaram a técnica de Pastel Seco.

Teatro - A Bela Adormecida

Actividade dinamizada pela Biblioteca da Escola Secundária de D. Dinis - Santo Tirso

Feira do Pão na Escola Secundária de D. Dinis - Santo Tirso

Feira do pão Actividade dinamizada pelo Clube de Expressões e Sabores video Parabéns!

Escola Profissional Agrícola Conde S. Bento

A exposição do Autor do Mês teve uma dinâmica diferente e permitiu a promoção da leitura. Alunos e professores esvaziaram os sotãos e o resultado foi este... video

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Com o objectivo de sensibilizar os nossos alunos para este flagelo da sociedade moderna e assinalar o Dia Mundial de Luta contra a Sida, a BE do Agrupamento de Escolas d’Agrela e Vale do Leça, em colaboração com o Projecto de Educação para a Saúde e as disciplinas de Ciências Naturais e Design de Comunicação, promoveu, no início de Dezembro, o concurso “Um Laço …porque a SIDA existe!”. Participaram os alunos das turmas B e C do 9º ano. A vencedora do concurso foi a aluna Mariana Ferreira do 9º C com o laço que vemos na imagem.

"Aqueles que têm nome e nos telefonam
um dia emagrecem - partem
deixam-nos dobrados ao abandono
no interior duma dor inútil muda
e voraz

Arquivamos o amor no abismo do tempo
e para lá da pele negra do desgosto
pressentimos vivo
o passageiro ardente das areias - o viajante
que irradia um cheiro a violetas nocturnas

Acendemos então uma labareda nos dedos
acordamos trémulos confusos - a mão queimada
junto ao coração

E mais nada se move na centrifugação
dos segundos - tudo nos falta
nem a vida nem o que dela resta nos consola
a ausência fulgura na aurora das manhãs
e com o rosto ainda sujo de sono ouvimos
o rumor do corpo a encher-se de mágoa

Assim guardamos as nuvens breves os gestos
os invernos o repouso a sonolência
o vento
arrastando para longe as imagens difusas
daqueles que amamos e não voltaram
a telefonar"

Al Berto
in Horto de Incêndio